Macs podem estar sujeitos a malware que dura para sempre

Cada vez que há uma falha de segurança nos dispositivos Apple, o mundo quase que entra em choque. Tanto os Macs como os iPhones estão mais protegidos contra ameaças de malware do que os dispositivos Windows e Android, por exemplo.

Recentemente, dois hackers descobriram vulnerabilidades que podem tornar os Macs inseguros a este tipo de malware. O Thunderstrike 2, nome atribuído ao malware, permite que ataques de firmware sejam feitos de Mac para Mac automaticamente, e as máquinas nem precisam de estar ligados entre si para que isto aconteça.

O malware não é possível de remover, pois ocorre na EFI (Extensible Firmware Interface), antes mesmo do sistema operativo arrancar. Trocar o disco ou reinstalar o SO não é solução - a única solução é mesmo um reflash a um chip dentro do Mac.

O utilizador não saberá se está infectado ou não uma vez que o malware não atinge o SO, pelo que os anti-vírus não o detectarão. O processo de contaminação está demonstrado no vídeo em baixo, e demonstra que, mais uma vez, os computadores nem precisam de estar ligados à internet, basta apenas que um periférico contaminado esteja ligado ao Mac.

À medida que o OS X se torna cada vez mais utilizado, torna-se também mais apetecível aos hackers. A Apple ainda não comentou nada acerca deste assunto, mas espera-se que sejam tomadas medidas por parte da empresa para evitar a contaminação e propagação deste malware.