macOS Mojave é apresentado com Modo Noturno, App Store redesenhada, (algum) suporte a apps de iOS e mais…

Os rumores estavam certos. O próximo macOS será mesmo designado de Mojave, um deserto do sudoeste americano que impressionou a Apple pela sua beleza não só durante o dia, como de noite, o que inspirou uma das novas funcionalidades.

Depois de muita expectativa, o Modo Noturno chegou ao macOS de forma total, isto porque atualmente já existe a possibilite de escurecer de alguma forma o ambiente de trabalho, mas o resto das apps não acompanha este modo - até agora. E é espetacular.

Para o pessoal que tem a Secretária cheia de ficheiros todos desarrumados, a Apple criou uma opção de empilhamento - Stacks - que organiza por pilhas ficheiros do mesmo tipo.

O Finder tem uma nova vista designada de Galeria que mostra na parte inferior, e em fila, os ícones dos ficheiros, enquanto que em cima aparece uma pré-visualização do ficheiro selecionado, fazendo lembrar o atual Cover Flow mas bem mais clean. Do lado direito aparecerá uma barra com toda a metadata do ficheiro que se encontra selecionado e ainda algumas ações rápidas, como rodar 90º.

Uma das minhas funcionalidades preferidas, o Quick Look, que basicamente gera uma pré-visualização instantânea do ficheiro selecionado quando premimos a barra de espaço, ganhou mais funções, tais como a possibilidade de fazer algumas edição em imagens, pdf’s e vídeo (recortar).

Outra funcionalidade que uso praticamente todos os dias é a Captura de Ecrã (Shift-Cmd-3 ou 4) e que no macOS Mojave ganhou novas opções. Basicamente, agora está mais parecido com o que acontece no iOS, ou seja, quando efetuamos uma captura de ecrã, aparece um thumbnail no canto inferior do ecrã onde depois é possível fazer alguma edição básica. Há também uma nova opção para capturar vídeo.

Baseado no recurso de Continuidade presente no macOS e iOS, a Apple apresentou o Continuidade na Câmara que permite ao Mac ativar a câmara de um dispositivo iOS para capturar uma imagem e inseri-la no ficheiro que estamos a editar.

O Safari recebeu novas ferramentas que reforçam a privacidade do utilizador, limitando ainda mais o que os sites podem saber sobre nós. É possível, por exemplo, desativar os comentários do facebook num determinado site, o que poderá ser más notícias para muitos blogues. Existe ainda um método que sites e empresas utilizam para monitorar o nosso comportamento na web designado de Fingerprinting e que a Apple promete proteger nesta versão do Safari.

A Mac App Store foi redesenhada à semelhança da App Store para iOS, oferecendo agora secções como Descobrir, Criar, Trabalhar e Jogar, entre outras. Os programadores poderão agora incluir reviews directamente nos seus apps, enquanto que outros irão juntar-se à Mac App Store com os seus produtos, entre os quais a Microsoft com o Office 365.

A Interface de programação de aplicações (do inglês application programming interface, vulgo API) Metal foi atualizada com suporte a placas gráficas externas (ePGU), fazendo com que um simples Macbook tenha um desempenho de um PC de topo. O macOS Mojave vai também ajudar os programadores a criar recursos de inteligência artificial para que estes integrem nas suas aplicações.

Um dos momentos mais curiosos aconteceu quando Craig Federighi mostrou um diapositivo com umas das questões com que ele é mais confrontado: “a Apple vai fundir o iOS com o macOS”? A resposta foi um contundente “Não”, porém isso não quer dizer que os dois softwares não se vão aproximando cada vez mais. Uma nova funcionalidade, que só deverá ser implementada na sua totalidade em 2019, foi revelada e que consiste em trazer apps do iOS para o macOS, integrando a framework de desenvolvimento para iOS, o UIKit, no macOS. Como resultado, a Apple deu inicio ao que chamou de Fase 1, em que trouxe algumas das suas apps nativas do iOS para o macOS, tais como Notícias, Bolsa, Dictafone e Casa. No entanto, os programadores só terão acesso a esta ferramenta no próximo ano. Ainda assim, fiquei bastante entusiasmado com o seu potencial, só dependerá depois do sucesso da adoção desta ferramenta por partes dos developers.

Por fim, mencionar que o FaceTime no macOS Mojave permite, tal como no iOS 12, chamadas em grupos de até 32 pessoas.

O macOS Mojave estará disponível para todos os utilizadores no outono e é compatível MacBook de inícios de 2015 ou mais recentes, MacBook Air de meados de 2012 ou mais recentes, MacBook Pro de meados de 2012 ou mais recente, Mac mini de fins de 2012 ou mais recentes, iMac de fim de 2012 ou mais recente, iMac Pro e Mac Pro de fim de 2013 ou de meados de 2010-2012 com suporte da GPU ao Metal.