Consumer Reports não recomenda os novos MacBook Pros e Apple já reagiu

Pela primeira vez em anos, a Consumer Reports (CR), entidade americana que faz reviews e recomendações de diversos produtos de consumo, não recomenda a nova geração de MacBook Pros, lançada no final deste ano, devido à inconsistência da autonomia da bateria.

Segundo os testes da CR, os três modelos de MacBook Pro testados (13 polegadas com e sem Touch Bar e 15 polegadas com Touch Bar) tiveram diferenças de autonomia entre 3,75 a 19,5 horas, o que faz com que as máquinas não passem nestes testes, uma vez que a diferença não deve ultrapassar os 5%. Tal levou a que a CR não recomendasse aos consumidores os novos computadores da Apple.

A empresa de Cupertino não ficou nada satisfeita com a notícia. Segundo Phill Schiller, chefe de marketing da Apple, a empresa já está a trabalhar com a Consumer Reports para entender os resultados dos testes e como estes foram executados, uma vez que não correspondem aos que a Apple fez em laboratório:


Há quem acredite que os testes foram mal efetuados, ou que as máquinas com que a CR podiam estar defeituosas. Do lado oposto, há quem veja a sua máquina identificar-se com os testes da CR — afinal de contas, num movimento um pouco “estranho”, a Apple removeu no macOS Sierra 10.12.2 a estimativa do tempo de uso de bateria, uma vez que “não era precisa o suficiente”.
Vejamos o que a Apple conclui em conjunto com a Consumer Reports.